Black October – War in Brazil

Posted: October 8, 2013 in news
Tags: , , , , ,

Quanto mais você investiga, quanto mais você se EDUCAR, mais você vai entender de onde as coisas vem. As coisas tornam-se mais evidentes e você começará a ver MENTIRAS por TODA A PARTE. Você tem que saber a verdade e buscar a verdade, só a verdade vos libertará.
– Jordan Maxwell

The more you investigate, the more you educate yourself, the more you understand where things come from, the more obvious things become and you begin to see lies everywhere. You have to know the truth and seek the truth and the truth will set you free….
– Jordan Maxwell

mourning-and-struggle-for-education“The fight is for them”: The mourning and the struggle for a better public education. Dressed in the uniform of a student, a cross as a sign of mourning for the “Death of Education” is raised by teachers on strike in front of the Brazilian flag in the center of Rio.

Começou o Outubro Negro / The Black October has started

Após o Setembro Negro que manchou de sangue o Dia da Independência no Brasil, a Primavera Brasileira que começou com força total ainda durante o inverno mas parecia ter perdido o gás nos últimos dois meses, ganhou novo fôlego nesta segunda-feira, 7 de Outubro, quando centenas de milhares de pessoas foram às ruas protestar em apoio aos profissionais da educação em greve há dois meses no Rio de Janeiro por melhores condições de trabalho e um plano de carreira que atenda às necessidades da categoria. A manifestação contou também com o apoio da população de São Paulo, todos expressando indignação pela violência policial contra os professores na semana passada, no Rio de Janeiro. Leia sobre os ataques da polícia aos professores aqui. // After Black September that stained with blood the Independence Day in Brazil, the Brazilian Spring that began even during the winter but seemed to have lost its strength in the last two months, gained new life this Monday, 7 October, when hundreds of thousands of people were to the streets to protest in support of  the professionals of education on strike for two months in Rio de Janeiro for better working conditions and for a career plan that fits the needs of the class. The event also counted with the support of the population of São Paulo, all expressing outrage with the police violence against teachers last week in Rio de Janeiro. Read about the police attacks to the teachers here.

Poucos dias depois da violência sofrida pelos profissionais da educação, um soldado da polícia militar debochou da situação, postando no Facebook uma foto sua com o cassetete quebrado, com um irônico pedido de desculpas: “Foi mal, fessor”. A foto que causou revolta e indignação foi parar na primeira página do New York Times, jogando mais uma vez a Polícia Militar do Rio de Janeiro na berlinda das maiores vergonhas do Brasil na atualidade. // A few days after the police violence suffered by the teachers, a soldier of the military police mocked the situation, posting on Facebook a photo with his truncheon broken, with an ironic apology: “Sorry, teacher.” The photo that caused anger and outrage ended up in the front page of the New York Times, once again throwing the Military Police of Rio de Janeiro in the spotlight as one of the biggest shames in Brazil today.

1A police officer in Rio de Janeiro faces disciplinary measures after posting a self-portrait on Facebook in which he held a broken baton and suggested that he had snapped it on the body of a striking teacher during a crackdown on protesters this week. Read more clicking here.

A ação violenta da polícia contra os professores motivou uma onda de revolta que varreu as ruas dessas duas cidades na noite desta segunda-feira. O protesto que então tinha sido pacífico, foi marcado por novos confrontos entre manifestantes e a força policial, transformando o centro do Rio de Janeiro e de São Paulo novamente em cenários de guerrilha urbana. // The violent police action against teachers motivated a wave of revolt that swept the streets of these two cities this Monday. The protest was peaceful but was marked by new clashes between demonstrators and the police force, transforming the center of Rio de Janeiro and São Paulo once more in urban warfare scenarios.

RIO DE JANEIRO:

“Educação na rua, Cabral a culpa é sua!” Com esse grito ecoando pelo centro do Rio, cerca de 300 mil pessoas marcharam pelas ruas mostrando sua revolta contra a violência policial e total apoios aos professores em greve. // “Education on the streets, governor Cabral the guilt is yours!” With this shout echoing through downtown Rio de Janeiro, about 300 thousand people marched through the streets showing their uprising against police violence and full support to striking teachers.

3

4Menino Black Bloc com o cartaz “Quero estudar em uma instituição pública classe A para não ser policial militar”. A frase tornou-se mais um grito de protesto no Rio contra a ignorância e a violência dos policiais militares. // Black Bloc kid with the banner “I want to study in a public institution class A to avoid being a military policeman.” The phrase has become one more shout of protest in Rio de Janeiro against ignorance and violence of the military police.

5A tropa de choque dos professores toma as ruas do Rio em defesa de um melhor ensino público. // Squad riot of teachers take the streets of Rio in defense of a better public education.

6Cartazes “Sou professor. Bandido é o governo” e “Covarde” com o rosto do governador Sergio Cabral, para o qual educação, saúde e transporte público não são prioridades. // Posters “I am a teacher. Bandit is the government” and “Coward” with the face of Governor Sergio Cabral, for which education, health and public transport are not priorities.

7“Estado Assassino”: um estado que tenta reprimir com violência manifestações legítimas e pacíficas é a prova concreta do medo de seus governantes diante da força de mobilizações populares. // “State Murderer”: a state that tries to violently repress legitimate and peaceful demonstrations is concrete proof of the fear of rulers in front of the strength of popular mobilizations.

138Os heróis da liberdade: membros do Black Bloc ficam na frente com seus escudos para proteger os outros manifestantes dos ataques da polícia assassina do governador fascista Sergio Cabral. // Heroes of Freedom: Black Bloc members are at the front of the demonstration with their shields to protect other protesters from the police attacks of the fascist governor Sergio Cabral.

910Indígenas da Aldeia Maracanã – que conseguiram de volta o prédio do antigo Museu do Índio ameaçado de demolição pelo governador Sergio Cabral – participam do ato em apoio aos professores. // Indigenous of the Village Maracanã – who managed to back the building of the old Indian Museum threatened with demolition by Governor Sergio Cabral – participate in the act in support of teachers.

12 11“Mulher linda é mulher que luta”. // “Beautiful woman is woman who fight”.

14Cartaz com o governador Sergio Cabral como Adolf Hitler. O pequeno ditador do Rio de Janeiro cuja carreira política está extinta após inúmeros desmandos, abusos e escândalos de corrupção. // Poster with Governor Sergio Cabral as Adolf Hitler. The little dictator of Rio de Janeiro whose political career is extinguished after countless excesses, abuses and corruption scandals.

15A manifestação em defesa dos professores reuniu quase meio milhão de pessoas e terminou em paz com fogos de artifício. // The demonstration in defense of teachers brought together nearly half a million people and ended in peace with fireworks.

16Após a manifestação, a guerra começou, com os manifestantes enfrentando a polícia em uma atitude simbólica de desobediência civil. A polícia usou a violência habitual para reprimir os protestos. // After the demonstration, the war began and the demonstrators faced the police in a symbolic act of civil disobedience. The police used the habitual violence to supress the protests.

1718 19 20 21 22 23 24 25Resumo: dezenas de pessoas foram presas, algumas feridas por estilhaços de bombas. Bancas de jornais e agências bancárias foram depredadas, lojas foram saqueadas, prédios foram pichados, ônibus foram incendiados. // Summary: dozens of people were arrested, some injured by bomb shrapnel. Newspaper stands and banks were depredated, stores were looted, buildings were painted, buses were torched.

25Conheçam a Blue Hell, o novo brinquedinho da polícia fascista de Sergio Cabral contra os manifestantes. A bomba azul com uma concentração muito maior, proibida em vários países por ser considerada arma química letal, começa a ser usada no Rio de Janeiro.// Meet the Blue Hell, the new little toy of the police fascist of Sergio Cabral against protesters. The blue pump with a much higher concentration, banned in many countries for being considered lethal chemical weapon, begins to be used in Rio de Janeiro.

26Bombas de gás Rubber Ball GL 309 , atiradas pela polícia. Essas bombas são proibidas pela ONU por conterem 20% a mais de gás do que o permitido. São consideradas armas químicas letais. Quem lucra com o uso indiscriminado de bombas pela polícia? A Condor, empresa que fabrica essas armas que são exportadas para a Turquia, Israel e o Egito. Uma bomba dessas custa quase o valor do salário de um soldado da polícia militar. Elas serão encaminhadas para a Comissão de Direitos Humanos da ONU. // Gas Pumps Rubber Ball GL 309, shot by police. These pumps are prohibited by the UN for containing 20% more gas than permitted. Are considered lethal chemical weapons. Who profits from the indiscriminate use of bombs by the police? The Condor, the company that manufactures these weapons that are exported to Turkey, Israel and Egypt. A bomb like that costs almost the salary of a soldier of the military police. They will be forwarded to the Human Rights Commission of the UN.

Update: Vídeos com algumas cenas dos protestos e o caos no Rio de Janeiro. // Video with some footage of the protests and chaos in Rio de Janeiro.

.

Leia e veja mais fotos aqui // Read and see more photos here: http://www.vice.com/pt_br/read/protesto-black-block-professores-rio-de-janeiro

Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro: Vergonha nacional / Military Police of Rio de Janeiro: National shame

Flagrante da ação de policiais militares encarregados de ameaçar, provocar e xingar os manifestantes para criar flagrantes de desacato: Ane Melo foi chamada de “gostosa” por um oficial do Batalhão de Operações Especiais (BOPE) e revidou como qualquer cidadã deveria fazer diante de uma atitude de desrespeito e machismo mandando ele tomar no cú. Ela foi presa por desacato e encaminhada para a delegacia.

ane-melo-prisonFlagrant of the action of police officers in charge of threatening, scold and provoke protesters to create flagrant disrespect to authority: Ane Melo suffered sexual harassment and was called “sexy” by an officer of the Special Operations Battalion (BOPE) and retaliated as any citizen should do in front of an attitude of disrespect and sexism telling him to “fuck off”. She was arrested for contempt and sent to the police station.

Veja o vídeo da prisão de Ane Melo. // Watch the video with the moment of her prison:

.

SÃO PAULO:

“Professor é meu amigo, mexeu com ele mexeu comigo”. Com esse slogan em apoio aos professores agredidos pela polícia do Rio de Janeiro, milhares de pessoas foram às ruas do centro de São Paulo. O apoio mútuo entre o povo de São Paulo e do Rio de janeiro às mais diversas causas é mais uma força de conscientização e mobilização popular contra os governos fascistas de Geraldo Alckmin e Sergio Cabral e contra a suas polícias criminosas. // “Teacher is my friend, messed with he, stirred me.” With this slogan in support of teachers beaten by police in Rio de Janeiro, thousands of people took to the streets of São Paulo downtown. Mutual support among the people of São Paulo and Rio de Janeiro to several causes is more a force of awareness and popular mobilization against the fascist governments of Geraldo Alckmin and Sergio Cabral and against their criminal police .

sp-1

sp-2“Os únicos a serem desmascarados são os políticos, a mídia e a elite do nosso país” e “Olhem para nosso futuro. Façam a revolução.” Que futuro haverá para as nossas crianças se não mudarmos a realidade cruel e opressora desse país? // “The only ones to be unmasked are the politicians, the media and the elite of our country” and “Look at our future. Do the revolution.” What future there is for our children if we do not change the reality of this cruel and oppressive country?

sp-3

sp-4

sp-5

Veja o video. // Watch the video:

.

Comments
  1. […] que mais me revoltou ao ver a imagem é saber que ela foi o desfecho de um protesto de “professores” que aceitam o “apoio” dos “black blocs” nas suas … . Não consigo aceitar que quem se une a bandido seja chamado de professor/mestre, pois professor […]

    • mkenobi says:

      A imagem de um carro da polícia queimado não é nada diante da imagem de escolas sucateadas que não oferecem o mínimo de condições para que professores e alunos possam conviver em busca de uma educação decente e de qualidade. Foram décadas de descaso com os serviços públicos. Dezenas de escolas foram fechadas somente no governo Sergio Cabral e agora os professores em greve são tratados como bandidos como já o foram os bombeiros e os médicos do IASERJ. Há um fascista no governo do RJ oprimindo o povo e usando a polícia como sua milícia particular. Todo o apoio aos professores é bem-vindo, venha de onde vier. Obrigado pelo seu comentário.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s