Amarildo and the Brazilian New Order

Posted: August 21, 2013 in news
Tags: , , , , ,

banner

*Dear non-Brazilian friend, please read this post carefully.

One more time, please help us and stay at safety! Don’t come to Brazil! Don’t come to Brazil now neither to the World Cup 2014. We are living under an exception state. There’s no more human rights or freedom of speech. The mask of the false democracy that ruled the country since the end of the militar dictatorship fell at once. We are living now under a Fascist government.

1002359_523383564416496_1977514460_nPoliceman attacks journalists and lawyers in Catete, on this Monday, 19th July.

AMARILDO AND THE BRAZILIAN NEW ORDER

War in Rio – Fascism in Brazil

We are living, indeed, under a state of exception. No more human rights or freedom of speech in Brazil. The mask of false democracy that ruled the country since the end of military dictatorship fell at once when the first rubber bullet, the first jet of pepper and the first tear gas were launched at the beginning of the popular movements that erupted in June. For those who still act as zombies enslaved by the system, nothing has changed. For all those who finally woke from the lethargy and thought they had some right guaranteed in a constitution whose text is rewritten and amended every week, they finally realize the reality around them. We are living in a fascist state. We’ve always been.

There never was democracy in Brazil. For longer two decades we lived under one of the most bloody dictatorships of the 20th century. But the dream of the democracy was over now. We are living a nightmare. Our friends and family are desappearing and many others are being killed. The number of missings is biggest than in the time of the dictatorship. In 2012, only in Rio de Janeiro, 2 000 people disappeared without trace. People like the bricklayer Amarildo de Souza.

Amarildo is now a symbol of a cruel reality. Just another number to contribute to a frightening statistic. More people were arrested, killed or are missing now in the slums after the implementation of the Pacifying Police Units (UPPs) than when these communities were controlled by drug trafficking and organized crime. The military police that controls these places, now plays the role of the militia and trafficking, extorting, assaulting, raping, robbing and killing its residents.

Amarildo was taken from his home to a police station in the Favela da Rocinha by military police on 14th July and then he was never seen again. As Amarildo, dozens of people simply disappear every day in Rio de Janeiro and other cities of Brazil. Military Police – which should protect us – is the greatest scourge of the population. With its archaic structure and hierarchy forged in the times of military repression, the military is armed to protect corrupt governments as Sergio Cabral in Rio de Janeiro and Geraldo Alckmin, in São Paulo.

Emotionally uncontrolled, heavily armed and equipped with weapons and vehicles of war, the military policemen were trained to develop an unhealthy desire for violence. Owners of a psychotic illusion of power, they spread fear among the population with the arrogance of those who believe it holds the power over the life of the population and the certainty that their crimes and abuses will remain without any kind of punishment.

The testimonies of abuse of authority, crimes, violence and cowardice committed by police is increasing every day since the protests began in June. Ordered by corrupt rulers, military policemen not only fulfill the orders that are given to repress any popular demonstration, as most of them seem to rejoice with violence they practice against citizens defenseless and helpless.

Who left to defend the citizens and their constitutional rights if the first institution that should protect the citizen is rightly his most ruthless executioner? People are afraid to go to the streets to go to work or go to school. Popular demonstrations that came to gather a million people for the well being of the society, today not join more than 200 people. Governments imposed a state of panic in the population through police violence so intense that people think twice before approaching of any conurbation.

Traditional media is tasked not only to defend their own economic interests but also to defend the privileges of politicians and capitalists who keeps the media itself in a vicious cycle of exchanging favors, and manages to hide and manipulate all kinds of information to alienate most of the population, making them believe that every police action is legitimate and that protesters are thugs who wish to establish a state of chaos in society, as already said the governor Sergio Cabral of Rio.

There is no class or institution in Brazil interested in defending the rights of the population. The few agencies that try to act against violence and fascism of the police and political suffer straight defeats. The Public Prosecutor and the Order of Lawyers of Brazil stumble in the bureaucracy and slowness of the Brazilian justice or end up trapped by the gaps in the constitution and absurd laws that were created to protect only the corrupt and criminals.

The Government and its representatives living of privileges ever increasing and the constant joy of having totally destroyed his opponents. The political class finally declared peace among themselves in favor of a generalized robbery in which among the dead and wounded all they can quit profiting. Meanwhile, the population remains exploited by one of the world’s largest tax burden and is daily victim of shoddy public services.

If any citizen dare to stand up against the feasted Brazilian democratic state of law, the powerful military police, the armed branch of terrible governments, with his army of psychopaths and armored vehicles of war soon take the charge to silence his voice and not leave any trace of his passage on earth. The New Order is definitely established in Brazil, solidified into its deepest roots and supported by corruption in the three powers, and more the media.

To me probably, maybe to you that in the absence of anything better to do are reading this text, but certainly to all other excluded from the Brazilian system, left only to play the main role – the scapegoat to be sacrificed in this fiendish feast. Nothing else to do but to resign yourself, accommodate and alienate with frivolous things while we wait for the moment of the sticking.

Where’s Amarildo? I also would like to know, but who cares? We are the generation of Amarildos.

mkenobi

where-s-amarildo

AMARILDO E A NOVA ORDEM BRASILEIRA

Guerra no Rio de Janeiro – Fascismo no Brasil

Estamos vivendo, de fato, sob um estado de exceção. Não há mais direitos humanos ou liberdade de expressão. A máscara da falsa democracia que governou o país desde o fim da ditadura militar caiu de uma só vez quando a primeira bala de borracha, o primeiro jato de pimenta e a primeira bomba de gás foram lançadas no início do movimentos populares que eclodiram em junho. Para os que continuam como zumbis escravizados do sistema, nada mudou. Para todos aqueles que acordaram da letargia e acharam que tinham realmente algum direito assegurado em uma folha de papel cujo texto é reescrito e emendado a cada semana, estes perceberam enfim a realidade à sua volta. Estamos vivendo em um Estado fascista. Sempre estivemos.

Nunca houve democracia no Brasil. Por mais de duas décadas nós vivemos sob uma das ditaduras mais sangrentas do século 20 e conseguimos sobreviver graças ao ideal cívico de sermos uma nação unida. Mas o sonho da democracia que tanto festejávamos acabou. Estamos vivendo um pesadelo. Nossos familiares estão desaparecendo diante de nossos olhos. Nossos amigos e pessoas que conhecemos estão sendo mortos. O número de desaparecidos hoje é maior do que no tempo da ditadura. Em 2012, apenas no Rio de Janeiro, mais de 2 000 pessoas desapareceram sem deixar pistas. Pessoas como o pedreiro Amarildo de Souza.

Amarildo é agora apenas um símbolo de uma nova e cruel realidade. Apenas mais um número a contribuir para uma estatística assustadora. Mais pessoas foram presas, mortas ou estão desaparecidas agora nas favelas após a implantação das Unidades de Polícia Pacificadoras (UPPs) do que quando essas comunidades eram controladas pelo tráfico de drogas e o crime organizado. A polícia militar que controla essas localidades, agora faz o papel da milícia e do tráfico, extorquindo, agredindo, estuprando, roubando e matando seus moradores.

Amarildo foi levado de sua casa para um posto policial na Favela da Rocinha por policiais militares no dia 14 de julho e depois disso nunca mais foi visto. Assim como Amarildo, dezenas de pessoas simplesmente desaparecem todos os dias no Rio de Janeiro e em outras cidades. A polícia militar – que deveria nos proteger – é o maior flagelo da população. Com sua hierarquia forjada na estrutura arcaica dos tempos da repressão militar, a polícia militar é o braço armado a proteger os governos corruptos e fascistas como o de Sergio Cabral no Rio de Janeiro e de Geraldo Alckmin em São Paulo.

Emocionalmente descontrolados, fortemente armados e equipados com armas e veículos de guerra, os policiais militares foram preparados para desenvolver um desejo doentio pela violência. Donos de uma psicótica ilusão de poder, eles espalham o medo entre a população com a arrogância de quem acredita que detém o poder maior sobre a vida humana e a certeza de que seus crimes e abusos vão permanecer sem qualquer tipo de punição.

Os testemunhos de abusos de autoridade, crimes, violências e covardias cometidos por policiais está aumentando a cada dia desde que os protestos populares começaram em junho. Ordenados por governantes corruptos, os policiais militares não apenas cumprem as ordens que lhe são dadas para reprimir toda e qualquer manifestação popular, como a maioria deles parece se regozijar com a violência que praticam contra o cidadão indefeso e desamparado.

A quem resta ao cidadão violentado em seus direitos constitucionais básicos recorrer se a primeira instituição que deveria proteger esse cidadão é justamente o seu algoz mais implacável? As pessoas têm medo de sair às ruas para ir ao trabalho ou para ir à escola. As manifestações populares que chegaram a reunir um milhão de pessoas em prol do bem estar geral da sociedade hoje não conseguem juntar mais de 200 pessoas. Os governos conseguiram impor tamanho estado de pânico na população através da violência policial que as pessoas pensam duas vezes antes de se aproximarem de uma aglomeração qualquer.

A mídia tradicional se encarregou não apenas de defender seus próprios interesses econômicos mas também em defender os privilégios dos políticos e dos capitalistas que mantém a própria mídia em um círculo vicioso de troca de favores, e consegue esconder e manipular todo tipo de informação para alienar a maior parte da população, fazendo com que acreditem que toda ação policial é legítima e que os manifestantes são vândalos que desejam estabelecer um estado de caos na sociedade, como já afirmou o governador do Rio Sergio Cabral.

Não há qualquer classe ou instituição no Brasil interessada em defender os direitos da população. Os poucos órgãos que tentam agir contra a violência e o fascismo do sistema policial e político sofrem derrotas seguidas. O Ministério Público e a Ordem dos Advogados do Brasil esbarram na burocracia e na morosidade da justiça brasileira ou acabam aprisionados pelas lacunas na constituição e em leis absurdas que foram criadas para proteger apenas os corruptos e os criminosos.

O Governo e seus representantes vivem de privilégios cada vez maiores e na constante alegria de terem destruído totalmente seus opositores. A classe política finalmente declarou paz entre si em prol de uma roubalheira generalizada em que dentre mortos e feridos todos saem lucrando. Enquanto isso, a população segue explorada por uma carga tributária das maiores do mundo e vítima diária de serviços públicos de péssima qualidade.

Se algum cidadão ousar se levantar contra o festejado estado democrático de direito, a poderosa polícia militar, o terrível braço armado dos governos, com seu exército de psicopatas e blindados de guerra logo se encarregará de calar a sua voz e de não deixar qualquer vestígio de sua passagem sobre a terra. A Nova Ordem está definitivamente estabelecida no Brasil, solidificada em suas raízes mais profundas e amparada pelos três poderes, mais a mídia.

A mim provavelmente, talvez a você que na falta de algo melhor a fazer está lendo esse texto e com certeza a todos os demais excluídos do sistema, restou o papel principal – o de bode expiatório a ser sacrificado nesse festim diabólico. Nada mais a fazer além de se resignar, se acomodar e se alienar com coisas fúteis enquanto esperamos pelo momento da degola.

Cadê o Amarildo? Eu também gostaria de saber, mas no fundo quem se importa? Nós somos a geração dos Amarildos.

mkenobi

Interview video with the sons of Amarildo de Souza:

Courtesy of the video from NINJA Media.

.

Comments
  1. […] Amarildo and the Brazilian New Order (marciokenobi.wordpress.com) […]

  2. […] Amarildo and the Brazilian New Order (marciokenobi.wordpress.com) […]

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s